Profissão: Estatístico

Na maioria das vezes que eu dizia que ia cursar (ou que estava cursando) estatística eu via 2 reações: ou as pessoas achavam que era uma área do curso de matemática ("Ah, matemática, legal!") ou se diziam surpresas por ter um curso somente para estatística (afinal de contas, eles veem 'toda' estatística em 2 cadeiras). Eu sabia que era um curso pouco concorrido, mas será que é tão pouco conhecido? Esses dias resolvi ir atrás de estatísticas a respeito dos estatísticos.

O primeiro dado que procurei foi quantos estatísticos existem no Brasil. Infelizmente não encontrei nenhuma estatística de formaturas no INEP e nem o CONFE possui em seu site a quantidade de estatísticos registrados. Para tentar encontrar um valor aproximado recorri a duas fontes diferentes: IBGE e MTE (Ministério do Trabalho e Emprego).

A tabela mais próxima que o IBGE disponibiliza é a tabela 3543, que nos permite obter o total de pessoas de acordo com o grau de instrução mais alto - graduação, mestrado ou doutorado. O resultado obtido foi que, em 2010, haviam 13.387 pessoas cuja titulação mais alta era da área da estatística, sendo 11.198 graduação, 1.531 mestrado e 657 doutorado. Mas esse dado ainda não é o ideal: estatísticos com pós graduação em outra área não entram para essa contagem, e não estatísticos com pós-graduação em estatística são contados.

Os dados RAIS/MTE já foram discutidos aqui no blog e através deles é possível ter um retrato do mercado de trabalho. Temos por exemplo que, em 2013, haviam 3.326 pessoas contratadas como estatístico (pessoas na família da CBO 2002 "Profissionais de Estatística", não considerando os professores). Em 2010 eram 2016 pessoas. Entretanto, esse número também não é muito preciso: sabemos que há muitos estatístico que não são contratados como estatísticos mas sim, por exemplo, como analistas. Ainda assim, podemos tirar mais algumas informações da RAIS: o salário médio desses profissionais em 2013 foi de R$ 8.370.99, com um tempo médio no emprego de aproximadamente 13 anos.

E no futuro, como será? Para responder essa questão fui atrás dos dados do Censo da Educação Superior. Segundo os dados do censo de 2012, existiam 35 cursos de estatística (34 de bacharelado e 1 de licenciatura). Destes 35, 27 são em universidades federais, 7 em estaduais e 1 em universidade privada. Isso representava um total de 4864 alunos, dos quais 425 eram formandos e 1639 eram ingressantes.

Como podemos ver, a formação de estatístico ainda é pouco conhecida e uma parte considerável dos ingressantes acaba desistindo ao longo do curso (link para um estudo com os evadidos do curso de estatística da UFRGS), o que resulta em um aumento pequeno no número de profissionais no mercado. Isso, em parte, é bom para os estatísticos formados, mas ao mesmo tempo também é prejudicial: enquanto faz com que os salários ofertados aumentem (devido a falta de profissionais), faz também com que algumas empresas contratem outros profissionais para realizarem o trabalho de um estatístico.

Um comentário:

  1. Sobre a profissão de estatístico: https://www.facebook.com/fundacaoseade/photos/a.201855456499281.52334.201843849833775/1776192522398892/?type=3

    ResponderExcluir